Um vilão chamado Ansiedade

Nosso maior diferencial é ter o controle na medida em que possuímos o poder de escolha. Porém, na maior parte das vezes, este facilitador torna-se um empecilho que precisa ser trabalhado e driblado por nossa mente. Tudo que nos gera dúvida, angústia, medo e receio deve-se ao fato do poder de escolha. A carência atual de tempo hábil nos leva a tomar decisões em poucos instantes e este cenário gera um dos maiores inimigos do ser-humano: a ansiedade. Ansiedade é o sentimento típico de quem vive no futuro, preocupando-se com as coisas que ainda vão acontecer. É um estado momentâneo acompanhado de excitação psíquica e somática. Embora todos os tipos de ansiedade possam ser tratados com remédios ou terapia, nem sempre é bom se livrar deles. Podemos sim, conviver com ela pacificamente. Faz parte do nosso sistema de defesa e está projetada em quase todos os animais vertebrados. Foi ela que nos trouxe aqui através da evolução. A seleção natural, aliás, favoreceu animais e pessoas preocupadas em excesso. É essencial vigiarmos nossa mente com intuito de verificar, realmente, os males que a ansiedade esta nos proporcionando. Na maior parte das vezes sequer percebemos as drásticas consequências que um profissional extremamente ansioso pode sofrer. A noção de que vivemos numa época especialmente estressante é coisa ultrapassada, na verdade. A idéia de “era da ansiedade” nasceu antes da internet e do computador. Não se pode afirmar que somos mais preocupados hoje em dia, pois não tínhamos tantos indicadores antigamente. Sem contar que, atualmente, a psicologia e a psiquiatria têm um papel muito importante. “Enquanto que na Antiguidade, a ansiedade surgia de fatores externos, como doenças e catástrofes naturais, a dos nossos tempos é imposta por nós mesmos. Podemos até chamá-la de ansiedade neurótica”, diz Christian Perring, professor de filosofia da Universidade Dowling em Nova York, que estuda a relação entre filosofia e psiquiatria. Os fatores que mais causam preocupação atualmente são coisas muito menos tangíveis, como satisfação no emprego, realização amorosa, visual perfeito. Como nossos antepassados ainda estavam ocupados em sobreviver, dificilmente tinham as crises e neuroses que temos agora. De fato, boa parte das nossas apreensões vem das milhares de possibilidades de escolha que temos hoje em dia. Como o ser humano sempre funciona na base da comparação, o mundo globalizado contribui para a sua ansiedade e insatisfação, pois costumamos nos comparar com atores famosos, atletas; e não com os africanos, por exemplo. No Brasil, estima-se que 23% da população tenha algum tipo de distúrbio ansioso ao longo da vida. São eles: a síndrome do pânico, o estresse pós-traumático, as fobias, o transtorno obsessivo-compulsivo e o transtorno de ansiedade generalizada. Parece assustador, mas a boa notícia é que todos têm cura. Mude sua forma de pensar, seja mais positivo, vença sua ansiedade tenha equilíbrio e chegue ao sucesso. “O equilíbrio é sua melhor estratégia”. Excelentes negócios.

Patrick Piccoli

CRA /RS 036827

Administrador, palestrante e escritor

0 visualização

©2018 A Voz do Varejo - TODOS DIREITOS RESERVADOS.