Humildade e Ousadia para Recuar

O cenário dos negócios passa por um período que pode ser descrito como um divisor de águas, no qual drásticas mudanças estão previstas para acontecer, ganhando destaque a diminuição da concorrência entre empresas. É isto mesmo.

Há algum tempo pouco ouvia-se falar da real importância dos clientes, pois a bonanza era tamanha que o fato de perder um cliente não gerava impactos, pois outros surgiam todos os dias.

Porém, de agora em diante, acontecerão três movimentos que serão os vilões de estabelecer novas perspectivas, são eles: as grandes empresas tendem a firmar parcerias de união ou aquisição de empresas menores, ficando ainda maiores e assim, dominando seus ramos de atuação; as micro e as pequenas empresas, ao focar na excelência do atendimento, personalização e customização dos produtos, além da fidelização dos clientes, tendem a sobreviver; e, finalmente, as médias empresas tendem a desaparecer, por não ter a força e poder de barganha de uma grande como também a atitude e mentalidade de uma empresa pequena.

Este desaparecimento será ocasionado por falta de fôlego financeiro. As médias, para manterem-se competitivas, são obrigadas a realizar investimentos e posicionamentos de empresas grandes, porém seu faturamento é de média, gerando à longo prazo problemas irreversíveis em seu fluxo de caixa. Ao passo que o foco volta-se exclusivamente para melhorar este fluxo, as ações com o cliente são deixadas de lado, agravando ainda mais a situação.

Perceber, ter coragem, ousadia e principalmente humildade para recuar no momento certo é uma característica inerente às empreendedoras de sucesso. Este recuar pode ser tanto no tamanho da empresa, quadro funcional, como também na redução da gama de produtos. Ele visa um único objetivo, aumentar aquele famoso valor que sobra ou falta ao final de cada mês.

Um famoso recuo aconteceu com a Apple. Assim que Steve Jobs reassumiu o comando da companhia que estava com sérios problemas financeiros, ele tomou a audaciosa decisão de diminuir o mix de produtos ofertados ao mercado. Após alguns anos, somatizando outras atitudes assertivas, Jobs colheu os belos frutos dessa importante decisão, tornando seus produtos em objetos de desejo.

Sua tarefa: Reflita, perceba como está sua empresa e quais estão sendo as suas atitudes frente às situações.

Dicas P.A.P.: As dicas desta matéria são voltadas para que você cuide de detalhes em sua empresa que passam desapercebidos. São elas:

  • personalize seus atendimentos;

  • tenha uma “vaca roxa”, ou seja, algum diferencial que torne sua empresa exclusiva;

  • não tenha medo e nem receio de recuar;

  • fidelize, encante e satisfaça seus clientes internos e externos;

  • entenda um fluxo de caixa e descubra as ações para melhorar o resultado final;

  • tenha visão de longo prazo e aja de forma equilibrada;

  • faça e produza mais com menos.

Compartilhe sua opinião sobre este assunto. Lembre-se: sua empresa não é para lhe proporcionar status frente à sociedade. O objetivo de qualquer empresa é gerar lucro.

“O equilíbrio é sua melhor estratégia”.

Excelentes negócios.

Patrick Piccoli

CRA /RS 036827

Administrador, palestrante e escritor

0 visualização

©2018 A Voz do Varejo - TODOS DIREITOS RESERVADOS.